Uma viagen pelo universo da imaginação

Galeria

Casas velhas!

Conto10 Foto do google

Há dias em que vivo uma tragédia. Há outros marcados por revoluções de minh’alma. Ontem, de tardezinha, quando o sol já fraco ia sumindo no horizonte plano do Suriname, tive vontade de chorar. De chorar a perda do céu, a perda da vida, a perda da dor, a perda da morte e a perda de mim. Não rezava e nem filosofava. Não pensei em Deus, nem em minha esposa e filha e nem nos homens. Olhava… como se olhar bastasse! Contemplava uma casa velha. Viver neste momento sem ela, seria o fim. Tinha se tornado meu sangue, meu ar, minha alma fora de mim, meu ser ao avesso postado a minha frente.

Tinha portas e janelas trincadas, mas não estava abandonada. Feita a mão, com martelo e prego, serrote e formão. Feita com cuspe. Com suor e sangue. Parecia ter alma. Tinha a espessura humana e o…

Ver o post original 169 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s