Uma viagen pelo universo da imaginação

Riacho de minh’alma!

Conto13 Foto do google

O riacho que mora dentro de mim é doce, o espelho de minh’alma. Fonte de prazer, leveza e brandura, leva tudo consigo. Às vezes, nas bravias correntezas, carrega a beleza de ser o que sou. Um milagre de águas límpidas quebrando as rochas, saltitando como pedrinhas de bilhantes, uma atrás da outra.

Com a maciez das pequenas ondas varria do meu coração temores infantis. Outros tantos trazia, pesares e arrependimentos, o lancinante ressentimento misturado com sentimento de culpa.

Ali eu ficava quieto e calmo ouvindo e vendo, tocando e sentindo tudo. O riacho era o fundamento do meu mundo. A janela, a porta e o travesseiro. Tudo em minha vida existia como que para dar sentido ao correr apressado das suas águas.

Vida fluía e me enchia de esperança. Um dia conheceria as coisas como elas são. As águas que iam… e iam… e iam sem parar, gritando…

Ver o post original 145 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s